Obrigado pela visita...

Poesia 2408 – Saciável


 
Não sou ninguém,
Nada.
Água de rio,
Transparente,
Invisível.

Que pode matar a tua sede...


JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário