Obrigado pela visita...

Poesia 2349 - Destilando a vida

Você me conheceu
Bêbado
Na sarjeta.
Lembro-me que me deu a mão
Que me levantou
Que me deu banho
Que me vestiu
Mas isso não pode me privar de viver.
Meu sangue
É malte
Envelhecendo
Como em um barril.
E está ficando melhor a cada dia.
Beba-me ao invés de quebrar a garrafa.
Aproveite a destilação da minha existência...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário