Obrigado pela visita...

Poesia 2348 – O andarilho e os girassóis


 
Me chame de louco
Não tô nem aí
Talvez seja mesmo
Mas sou livre
E feliz
Apesar de pensar tanto.

Por que sou louco?
Digo-lhe agora
A última loucura que fiz.

Sabe girassol?
Aquela flor.
Aquela semente.
Sabe?
Pois é, fui ao supermercado
E comprei
Um saquinho de meio quilo
Delas, das sementes.

E daí?

Daí que vim pra casa
Jogando pelo caminho
Andarilhando.

Pela praça
Pelo canteiro
Pelas ruas
Pelos caminhos de terra
Pela beira da estrada.

Pra quê?

Porque sou louco
E livro
E posso fazer isso
E fazer o que eu quiser
Seja jogar sementes de girassol
Seja andar pelado na rua.

Sou louco.
Eu posso.

E anteontem choveu.
E ontem choveu também.
E hoje choveu de novo.

E daí?
Daí que daqui há alguns dias
Eu terei girassóis na praça
E no caminho de terra
E na beira da estra
E no canteiro
E nas ruas.

Amarelando a cidade.
Colorindo a cidade.
Alegrando a cidade.

Por quê?
Pra quê?
Pra nada.
Só porque sou louco.
E livre.

E posso...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário