Obrigado pela visita...

Poesia 03 - Eu sempre estrago tudo


Como é fácil fugir de tudo.
Apenas viro as costas e sigo andando.
Muitas vezes nem olho para trás...

Poderia ver uma lágrima...

Como é fácil estragar tudo
Com uma simples palavra
Com um simples gesto...

Minha vida é um castelo de areia na praia violenta,
Um castelo de cartas num vendaval,
Um castelo de gelo no deserto...

Talvez seja um sonho de palavras
Que não tem rimas nem nexo
Palavras sem sentido, sem lógica,
Em uma língua desconhecida
De um dicionário inexistente...

Seria eu um extraterrestre?
Com um cérebro em outro formato?
Com neurônios mutantes?
Com dez corações no peito,
Pulmões e fígado duros,
Feitos todos de rocha inquebrável?

Sim, sou um ET...

Sozinho em um planeta desconhecido
Onde todos falam igual e não entendo nada
E não consigo ser entendido...

Estou sozinho
Entre milhões de humanos
Entre trilhões de animais
Entre zilhões de insetos
Entre uma eternidade de esperança...

Esperança
De que um dia encontre outro ET
Com orelhas iguais às minhas
Com olhos que vejam iguais.
Que ande sempre comigo
Trilhe o mesmo caminho
De mãos dadas...

E com o propósito de sempre seguir em frente.
Assim não estarei sozinho.
Nunca mais sozinho...

(Autor: Jorge Leite de Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário