Obrigado pela visita...

Poesia 2447 - Tudo o nada



E tudo se repete
tudo
o mesmo nada de sempre
igualzinho
ridículo
idiota.

De novo
e de novo
e sempre.

Repetindo
um nada
depois de outro.

Tudo o nada...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário