Obrigado pela visita...

Poesia 2433 - Iogurte (18+)

(Se tens algum tipo de preconceito, não leia...)



Ela lia informações de iogurtes no supermercado.

Olha para mim
- olhos azuis -
sorriso malicioso
abre o iogurte
lambe a tampinha
passa a língua
bem devagarinho
uma vez
duas
três milhões de vezes.

Encara-me.

Excito-me
(o volume em mim me entrega)
sou dela.
Clamo silenciosamente para ser seu escravo!
Mas ela me ignora
vai embora
passa perto
olha-me nos olhos
soltando o iogurte
- vazio -
em minhas mãos.

Paraliso.

Ela se vai.
Cheiro de cio no ar.

Potinho na mão
com uma lambida
sinto sua saliva
no pouco que resta
na tampinha.

Saliva doce.
Inebriante.
Dominadora...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário