Obrigado pela visita...

Poesia 2368 – O grito da carne



Ouço o grito do churrasco.
Lembro-me que ele existe
Não me lembro do paladar.
Deve ser bom
Tenho saudades.
Tenho que me contentar
Com o grito do microondas
Em contagem regressiva
Assando a Lasanha da Seleção.
E dizem que podia ser pior...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário