Obrigado pela visita...

Poesia 2280 – A fonte

Vejo uma fonte
Dentro de mim
Mas está seca...

Não há água
Não há moedas
Não há amor
Não há cor
Não há brilho
Não há dor
Não há luz
Não há caminho...

A fonte secou.
Com ela, minha essência se foi.
Minhas tendências suicidas não
Essas ficaram
E me fazem feliz...

Mas a fonte?
A fonte secou...

(Autor: Jorge Leite de Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário