Obrigado pela visita...

Poesia 2248 – Trevas


Trevas.
Vida de trevas.
Mesmo com tanta luz
Tantas lâmpadas acesas
Tantas velas
Tantos fogos crepitantes...

Vida de trevas.
Sem neblina
Só escuro
Nada vejo
Nada sinto
Nem motivos
Para ir ou vir
Para ficar ou voltar
Para viver.
Ou morrer...

Vida de trevas.
Sem graça.
Que me prende entre paredes
Em casa
No trabalho
Onde nunca quero estar...

Sou andarilho de alma
Mas nunca serei de verdade...


(Autor: Jorge Leite de Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário