Obrigado pela visita...

Poesia 2201 – Inferno


Está quente aqui,
Muito quente.
O ar abafado
Vapor de computadores
Máquinas cerebrais...

Tudo é tão quente que me dói as costas.
Está quente aqui
Pessimamente quente...

Cadê o diabo?
Quero reclamar!
Exijo melhoras
Ou mande-me para o purgatório...



(Autor: Jorge Leite de Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário