Obrigado pela visita...

Poesia 2168 – A varanda me acalma


Lembranças.
A varanda
A rede balançando-se lentamente
Dois corpos, eu e você, deitados,
Abraçados, sem compromissos,
À espera de nada...

A varanda me acalma
A praia lá embaixo me acalma
Você me acalma...

O vento é brisa
O calor não incomoda pois estou com poucas roupas
A cerveja gelada ao lado também ajuda a refrescar...

A varanda...

Lembranças boas
Que se repetirão, tenho certeza.
Só não sei quando...

Ah, a varanda...



(Autor: Jorge Leite de Siqueira)

Nenhum comentário:

Postar um comentário