Obrigado pela visita...

Poesia 156 - Topo



Não sei como cheguei aqui
Mas não tenho outra alternativa
A não ser segurar firme
Porque posso cair a qualquer momento...

Fico balançando de um lado para o outro
Sendo empurrado
Jogado, atirado ao vazio,
Como se a solução de todos os problemas
Estivessem em minhas mãos...

Eu não sou Deus,
Não tenho todas as respostas
Principalmente porque não sei as perguntas...

Os degraus que subi eram escorregadios,
Alguns mais altos, outros menos,
Mas a escada, cada vez mais íngreme,
Eu consegui superar...

Lapidei muitas pedras,
Foram tantas mas não contei.
Só que agora estou aqui em cima
Sou um alvo fácil
E não tenho mais para onde subir.

O que faço?
As cobranças são muitas
A responsabilidade me assusta
As pedras e os tiros me acertam...

Preciso de estímulo para continuar aqui em cima
Ou então desço e recomeço,
Porque se for para eu cair
Não vai ser por causa de pequenos insetos
Que teimam em me picar...

Insetos como você...

AUTOR - JORGE LEITE DE SIQUEIRA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário