Obrigado pela visita...

Poesia 2568 - Botões

vivemos rápidos
temos tanta pressa
que contamos ponteiros
de dois em dois.

vivemos tão rápidos
que tudo é solúvel:
o leite
o café
o amor.

até os botões
que num estalar
(des)abotoam-se.

a pressa não nos permite viver.

e viver
é um estalar
de botões
divinal...
 
JORGE LEITE DE SIQUEIRA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário