Obrigado pela visita...

Poesia 2435 - Ajoelhados



(Se tens algum tipo de preconceito, não leia...)

Ajoelhada
mãos juntas
seguram
meu pau.
Sinto
no instinto insano do momento
o momento
chegando.
Sangue fervendo
vem vindo
como cócegas
de dentro pra fora
e explode
em sua garganta.
Ajoelhada
agradece
e engole até a última gota
de minúsculos eus.
Ajoelhada
me pede:
- Agora é a sua vez!

Ajoelhado
obedeço...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário