Obrigado pela visita...

Poesia 2597 - Nunca mais quero amar

E os poetas dizem
Que é uma dor forte
Lá no fundo do peito.

Eu digo que é liberdade.

Ser livre
É ser sozinho.
Ser sozinho é ser livre...

Não importa.
Enfiei a mão lá dentro
No fundo
Bem no fundo
E te arranquei.

Como quem arranca ervas daninhas...

No começo
Devagar
Bem devagar
Fui te puxando para não doer tanto.
Depois
Mais rápido
Mão cheia
Aos montes
Tirei-te de mim
Lá de dentro
E te joguei ao vento.

Agora sou livre.

Não
Não sou feliz
Isso é outra coisa.
No momento estou péssimo
Triste
Perdido.
Mas me sinto livre.

Livre de amor
De dor
De sofrer.

Livre de sentimentos.

Terra estéril!
Aqui nunca mais nasce nada.
Nunca!
Prometo nunca mais plantar nada.
Nem ódio
Nem amor.

Nunca mais vou sentir nada.
Nunca mais vou sofrer.

Nem ser feliz?

É.
Dessa vez foi forte.
Doeu muito.
Muito.
Mas, nunca mais vai doer.
Nunca mais!
Nunca mais passo por isso.

Nunca mais quero amar...
 
JORGE LEITE DE SIQUEIRA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário