Obrigado pela visita...

Poesia 2559 - Covarde na multidão

seco
árido
deserto.

sem sentimento
teimo em estar
(ser é diferente...)
hoje
agora
sempre?

não.
estou assentimentado.

estou.

para quê?
para sofrer?
prefiro assim
nem dor
nem cor.

apenas um covarde na multidão...

JORGE LEITE DE SIQUEIRA
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário