Obrigado pela visita...

Poesia 2456 - Ela chora



distante, ela chora.
meu coração
- bomba prestes a explodir –
sente o sal
lágrimas
diminui o ritmo
quase para.

distante.
quinhentos quilômetros.
e tão perto.

sinto o sal
como a temperar minha saliva
na ânsia de enxugar
lágrimas
- malditas -
teimosas
desobedientes.

meu coração
máquina
me desobedece e sofre
sem nem ao menos ver os pingos que caem no solo
encharcando
roupas, toalhas, lençóis.

meu coração tem vida própria
e sofre
porque é coração de poeta
e nasceu para isso
sofrer
de dor
de amor
sofrer
simplesmente sofrer.

JORGE LEITE DE SIQUEIRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário